escopo imagem blog due

Confira as tendências de design para 2018

A cultura visual diz respeito aos hábitos, processos e costumes visuais de um povo. Ou seja, é determinado modo de ver que muda de acordo com os grupos sociais e a época em que se vê o mundo. Ela está no cinema, na moda, na televisão, na internet, entre outros, e está em constante transformação. Com o design não é diferente e os elementos utilizados para um “bom design” devem acompanhar um certo espírito do tempo para comunicar-se com as pessoas. Para isso, identificar e utilizar tendências de design pode ser um diferencial para as marcas, por exemplo, na medida em que permite que elas se posicionem de forma assertiva no mercado em que atuam.

Então, definir um período de tempo pode ser necessário para se pensar acerca das próximas tendências de cores, tipografias e imagens que serão usadas pelos designers. E aqui estão as tendências identificadas no design para 2018:

Degradê

pasted image 0

Due_Jan_2018_INSTA

Kinect Design

Fonte: Studio Feixen

Tipografia Disjuntiva e Fotografia

Due_Instagram

Integração entre tipografia e imagem

Due_Instagram3

bannersite

Tipografia como moldura

Due_Instagr3

Due_Fev_2018tudoCores do ano

pasted image 0 (1)

Due_Instagram_akjsdjf

Duotones

pasted image 0 (2)

pasted image 0 (3)

Tendo isso em vista, é necessário sublinhar que as tendências na cultura visual tem que se adaptar ao contexto do grupo social onde estão inseridos. Por isso, cada recurso de design deve ser usado de acordo com a cultura empresarial das marcas e do tipo de linguagem que seu público consome, adaptando-se de acordo com o contexto comunicativo.

Untitled-1

Seja visto: a Comunicação via imprensa e seus benefícios às marcas

Não adianta: uma empresa pode fabricar o melhor produto do mercado, oferecer o serviço mais competente ao preço mais competitivo, mas se sua comunicação for ruim, o mercado não saberá dela e… Os clientes não virão tanto quanto se espera.

Afinal, quem não é visto, não é lembrado, já diz o bom e nada velho – aliás, cada vez mais atual – ditado. Para atrair a atenção e, principalmente, a intenção de compra, uma marca depende de vários fatores, mas a comunicação eficaz com o mercado está no centro das ações que devem compor uma estratégia bem-sucedida.

Esta comunicação se constrói com base em alguns pilares. A publicidade é um deles: anunciar é importante para mostrar a marca, torna-la conhecida, despertar interesse e criar necessidades no público-alvo.

Entretanto, esta é apenas uma parte do trabalho. Consolidar uma marca é tarefa multidisciplinar, e inclui uma sólida atuação de Assessoria de Imprensa.

Mas, se eu já anuncio, por que investir em Assessoria? Porque a publicidade vende. A propaganda tem seu papel, e ele é fundamental, mas todo consumidor sabe que aquela mensagem é paga, e, por isso, será dita da forma exata que o anunciante quiser.

Já na divulgação via imprensa, é diferente. O jornalista publicará as pautas com base em critérios de ética, informação, imparcialidade. Nenhuma empresa pagará ao veículo para ser notícia: o assunto precisa ser, de fato, “notícia” para ganhar espaço. O repórter ou editor precisa acreditar no que recebe, confiar na fonte emissora, obter conteúdo rico, detalhado, adequado ao público de seu veículo, e, a partir disso, compor a matéria.

Sim, porque o jornalista não publicará o texto pré-aprovado pela empresa, ipsis litteris, conforme acontece na propaganda. Um bom repórter buscará mais dados, fará entrevistas, consultará outras fontes, buscará arquivos e matérias anteriores, artigos relacionados ao tema, e escreverá um texto autoral acerca da pauta. Ele irá cobrir o assunto, não replicar fielmente o que receber.

E quem faz a ponte entre a empresa e a imprensa, quem atua no convencimento do jornalista, na triagem de dados que irão interessar a cada repórter de cada veículo, garantindo interesse para o tema e sua consequente publicação? Esse cara é o assessor.

Formado em Comunicação, o assessor saberá que temas trabalhar, e de que forma torna-los um texto atraente, para despertar o interesse da imprensa. Ele também trabalhará para conseguir que o jornalista entreviste a fonte assessorada e entregará ao colega dados adicionais que a empresa puder fornecer, elevando o conceito da marca junto ao veículo de mídia.

O assessor também saberá alinhar a expectativa da empresa em relação ao que será publicado, além de valorizar o trabalho do jornalista – muitas vezes, uma entrevista de meia hora rende uma publicação de cinco linhas e isso é muito bom e importante, sim. Aquelas cinco linhas consumiram trabalho de muito mais tempo, tenha certeza, por parte do jornalista, representam um espaço valioso, que resume o cerne da notícia que o veículo julgou importante publicar.

Mas o maior resultado na análise entre propaganda e notícia está em quem recebe. Para o público, um anúncio fala muito, e comunica super bem. Entretanto, é inegável: quem vê sabe que aquilo foi pago para ser dito. É o que a empresa quer dizer, da forma como a empresa quer dizer, sem questionamentos.

Já uma notícia, que passou pelo crivo de um ou mais jornalistas, precisou ser relevante, atual, verossímil, e é recebida de outra forma. A credibilidade aumenta. O leitor – ou espectador de qualquer veículo – sabe que o que está sendo noticiado não é a versão pura e simples da empresa, não foi pago para ser dito. Ao contrário, foi triado entre diversas outras pautas, eleito como mais interessante, retrabalhado por um profissional de comunicação e, então, publicado.

Credibilidade é o mote. E credibilidade é intrínseco à divulgação editorial, que é intrínseca ao trabalho de assessoria de imprensa. Nos tempos atuais, de transformação digital imperativa (aí estão Gartner e IDC que não nos deixam esquecer), a mudança na forma de comunicar, com a profissionalização das estratégias de relacionamento com a imprensa e o público, é uma necessidade para companhias de qualquer porte.

Ser visto é ser notado, lembrado em decisões de compra, comprado. Comunicar bem, com o auxílio de profissionais, é a chave para alcançar visibilidade.

Site Original: http://coletiva.net/artigos/2016/08/seja-visto-a-comunicacao-via-imprensa-e-seus-beneficios-as-marcas/
Escritor: Gláucia Civa Kirch
Data: 18 de Agosto de 2016